segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Bicarbonato de Sódio contra o Câncer?


Agora é a vez do "santo" Bicarbonato de Sódio. Simples, barato e eficaz. O sonho de qualquer doente. Porém, como diz o aquele ditado popular: "Quando a esmola é demais o santo desconfia".

O médico Dr. Tullio Simoncini é o responsável por esta nova (não tão nova assim) onda de esperança.

Segue aqui um trecho do texto que transita pela internet:


"O médico observou que todo paciente de câncer tem aftas. Isso já era sabido da comunidade médica, mas sempre foi tratada como uma infecção oportunista por fungos - Candida albicans.

Esse médico achou muito estranho que todos os tipo de câncer tivessem essa característica, ou seja, vários são os tipos de tumores mas têm em comum o aparecimento das famosas aftas no paciente.

Então, pode estar ocorrendo o contrário - pensou ele. A causa do câncer pode ser o fungo. E, para tratar esse fungo, usa-se o medicamento mais simples que a humanidade conhece: Bicarbonato de Sódio.

Assim ele começou a tratar seus pacientes com Bicarbonado de Sódio, não apenas ingerível, mas metodicamente controlado sobre os tumores.

Resultados surpreendentes começaram a acontecer. Tumores de pulmão, próstata e intestino desapareciam como num passe de mágica, junto com as aftas. Desta forma, muitíssimos pacientes de câncer foram curados e hoje comprovam com seus exames os resultados altamente positivos do tratamento."


Um fungo causando o câncer? Alias, TODOS os tipos de câncer? Mas por que então as mais recentes pesquisas nesta área revelam ser o câncer uma doença ligada ao DNA? Não que este seja o único fator, mas que a predisposição genética explica grande parte da origem desta doença.

O Dr. Simoncini afirma que o tratamento funciona, mas que não é divulgado por causa do lobby das indústrias farmacêuticas que querem proteger sua fatia de mercado entre os clientes cancerosos.

A primeira pergunta que uma pessoa cautelosa deveria fazer seria: Existe embasamento científico para este tipo de tratamento devidamente respaudado em experimentos com animais provando ou não a eficácia do Bicarbonato? Depois disto, deveria ainda ser testado em condições devidamente controladas nos seres humanos.


Gabriel Cunha, doutorando em Biologia Molecular na UNIFESP, escreve em seu site que recentemente foi noticiado um trabalho em uma revista científica importante, mostrando os benefícios possíveis do controle do pH em tumores. Na verdade foram dois trabalhos, um com modelo animal e outro com modelo computacional. Claro que choveram comentários dos entusiastas do bicarbonato.

A explicação científica é que os tumores tem pH mais ácido. Enquanto o pH do corpo é 7,2 a 7,4, os tumores possuem pH de 6,6 a 7,0. Isto se deve ao fato das células tumorais não terem acesso fácil a vasos sanguíneos, assim, na falta de oxigênio, elas recorrem a respiração anaeróbica, o que acaba gerando ácido lático e outros metabólitos ácidos.

Ambientes ácidos favorecem tumores - células tumorais pré-cultivadas em pH baixo produzem proteínas associadas ao crescimento celular e parecem ser mais invasivas quando injetadas em animais.

Células normais não toleram pH ácido - em detrimento às células tumorais que conseguem se desenvolver nesses ambientes ácidos.

Assim surgiu um modelo de invasão tumoral dependente de acidez: o tumor cresce sem oxigênio suficiente, passa a respirar anaerobicamente deixando o ambiente ácido; as células normais em volta morrem; células tumorais que resistem à acidez invadem os tecidos adjacentes.

Agora os resultados do trabalho in vivo:

Camundongos foram inoculados com células tumorais para desenvolverem tumores e divididos em dois grupos: os que receberam o tratamento de bicarbonato e os controles sem bicarbonato.

Mudar a acidez não afetou crescimento de tumores primários. Mas reduziu o número e o tamanho das metástases no pulmão, intestino e diafragma. Assim os animais tratados com bicarbonato acabaram vivendo mais. Não houve alteração na acidez do sangue ou de órgãos normais.

Dois tipos de células tumorais foram injetadas sistemicamente (na veia) dos animais. Uma delas formou menos tumores em camundongos tratados comparando com os animais sem tratamento. O outro tipo não mostrou diferença entre os tratados e não-tratados com bicarbonato.

Portanto, este é o primeiro trabalho científico que registra beneficio do uso de bicarbonato de sódio no tratamento de metástases.

Boa notícia, já que o bicarbonato já é usado por pessoas em quantidade não muito diferente da que usaram proporcionalmente nos camundongos (equivalente a 12,5 g/dia para uma pessoa de 70 kg), e não é relatado nenhum efeito colateral importante devido a este uso.


Teoria do fungo e da conspiração

Agora quanto ao caso do ex-médico Tullio Simoncini que prescrevia bicarbonato a seus pacientes permanece o alerta. A via de ação do bicarbonato apresentada aqui por este trabalho parece muito interessante e não tem absolutamente nada a ver com a idéia de Simoncini de fungos causando tumores.

Este trabalho também mostra que não existe um lobby velado da indústria farmacêutica impedindo pesquisas e publicações com substâncias que possam ir contra seus ganhos. A pesquisa com bicarbonato foi feita e publicada nesta revista muito conceituada no meio científico. Existe lobby sim, mas ele atua de outras formas, e não impedindo pesquisa básica independente.

Fique também claro que este trabalho, apesar de parecer ter sido bem conduzido, ainda precisa ser confirmado por outros laboratórios. A repetição de resultados é a última garantia de que aquele dado é realmente confiável.

Aguardemos mais boas notícias.

Gabriel Cunha é formado em Biologia pela UNESP/RC, atua como professor e faz doutorado em Biologia Molecular na UNIFESP.

4 comentários:

  1. Tem um selo de reconhecimento para você lá no meu blog. O seu blog é D+.

    ResponderExcluir
  2. graça domingo dia 9/12/2012
    gostei muito desta matéria

    ResponderExcluir