domingo, 26 de outubro de 2008

A Máfia Psíquica - Parte 1


Como vimos nas postagens anteriores os supostos fenômenos espiritualistas e pretensões de poderes paranormais sempre foram acompanhados de perto por céticos que não pouparam esforços para denunciar suas fraudes e artimanhas.

Os espiritualistas tentam se defender alegando perseguição religiosa e os paranormais, preconceito com aquilo que as pessoas não conseguem explicar. Porém, quando alguém do próprio meio deles resolve "colocar a boca no trombone", "a casa cai"!

Foi exatamente isto que aconteceu quando M.Lamar Keene, um médium altamente bem sucedido que trabalhava no Acampamento Chesterfield (retiro espiritualista localizado no estado de Indiana nos Estados Unidos), resolveu contar toda a verdade.


M.Lamar Keene, nascido em 1938, obteve tanto sucesso como um médium espiritualista que chegou a ter dezenas de outros médiuns trabalhando em seu "negócio" e foi reconhecido como o "Príncipe dos Espiritualistas".

Nem é necessário dizer que conseguiu muito dinheiro com sua atividade, pois não eram poucos seus admiradores que voluntariamente patrocinavam seu "ministério espírita".


Porém, devido a uma crise de consciência, ele decide abandonar a mediunidade e contar toda a verdade ao pesquisador psíquico Allen Spraggett. Foi assim que surgiu sua bombástica autobiografia intitulada "A Máfia Psíquica".

Sua crise de consciência não aconteceu porque ele estava utilizando seus "dons" para fins de lucro financeiro, mas porque ele sabia que todas suas capacidades mediúnicas eram resultado de encenação fraudulenta, truques de ilusionismo e "vigaritisse" no nível mais elevado.


Em seu livro "A Máfia Psíquica", Keene detalha todas suas trapaças, expondo em detalhes como conseguia através de vários truques relativamente simples, enganar tantas pessoas.

Ele explica:

"Fosse minha trombeta flutuante inexplicável, por que os comunicadores de espírito falaram com as suas famílias e amigos ainda aqui na terra; minhas formas resplandecentes de espírito, que só não falaram aos vivos, mas os tocaram, mesmo abraçando-os; minha clarividência perturbadoramente exata, que provou que o espírito acompanhava o cotidiano da existência de seus entes queridos, cientes das coisas mais triviais em suas vidas - foram estes fenômenos psíquicos misteriosos que mantiveram as pessoas vindo e, bem importante, o dinheiro fluindo." (A Máfia Psíquica, pág. 90, Edição de brochura de Dell, 1977).

Prepare-se, pois o que virá na sequência será ainda mais chocante.

Continua...

Um comentário:

  1. Olá, gostei muito do seu blog. Ele é muito bom.

    Parabéns!

    Um abraço

    ResponderExcluir