segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Mentiras que os Religiosos contam por aí - 3ª Parte

por Cleiton Heredia


MENTIRA Nº 3 - NAPOLEÃO

"O imperador morre solitário e abandonado. Sua luta de morte é terrível"

Os sites religiosos (basicamente cristãos) trazem esta informação como uma declaração de um suposto médico particular de Napoleão que testemunhou os seus momentos finais. Nenhum deles menciona o nome do médico ou a fonte documental de tal afirmação, mesmo porque nada pode ser encontrado em qualquer uma das biografias oficiais de Napoleão.

Como a mentira acima normalmente aparece junto com outras declarações ou testemunhos fictícios sobre ateus em seu leio de morte, o leitor desapercebido é levado a concluir que Napoleão teve uma morte miseravelmente triste devido ao fato de ter sido mais um desaforado ateu. Mas a verdade é que Napoleão jamais se declarou ateu. Apesar da sua conhecida aversão à hegemonia da Igreja Católica nos assuntos políticos, ele chegou a declarar certa ocasião que "uma sociedade sem religião é como um navio sem bússola". Ele também reconhecia o caráter controlador da religião sobre as massas, pois afirmou: "A religião é o que impede o pobre de matar o rico".

Mesmo que a declaração acima fosse comprovadamente legítima, existiria ainda a possibilidade de a interpretarmos como consequência das derrotas que Napoleão obteve nos últimos anos, principalmente na Batalha de Waterloo e o seu exílio em Santa Helena, antes de conjecturarmos ser uma consequência de uma vida sem Deus.

Continua...

Um comentário:

  1. O que eu já vi dessas estorinhas por aí não está escrito.

    ResponderExcluir